restaurante sindilojasNayane Mousquer Advocacia e Consultoria JurídicaRestaurante e lancheria sabor & vidamugicasérgio bannereletron fortamgsrSIND SERV MUNICIPAISAGRITECampliar assessoria atendimento pscicologicoenphase
Cooperativa reativa usina hidrelétrica nas Missões
Pequena Central Hidrelétrica (PCH) será abastecida com águas do Rio Comandaí, em Guarani das Missões | Foto: Gabriel Augusto Weber
Pequena Central Hidrelétrica (PCH) será abastecida com águas do Rio Comandaí, em Guarani das Missões | Foto: Gabriel Augusto Weber
Pequena Central Hidrelétrica (PCH) terá capacidade para produzir 1,2 megawatts

A Cooperativa Mista São Luiz (Coopermil) de Santa Rosa está em processo de reativação de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH) no Rio Comandaí, em Guarani das Missões. A usina, com duas turbinas, está desativada há mais de 20 anos, e tem capacidade de geração de 0,2 megawatts.

O Diretor Executivo da cooperativa, Gabriel Augusto Weber, revela que, além da recuperação da usina antiga, será implementada uma nova com maior potência, de 1 megawatts. Desta forma, a capacidade de geração de energia poderá passar para 1,2 megawatts por mês. Ele conta que um profissional especializado está trabalhando para colocar a estrutura em operação. “Temos também outros profissionais que estão analisando a comercialização desta energia”. A PCH está localizada em uma área de 10 hectares.

A partir do momento em que as turbinas da PCH começarem a funcionar e a rede distribuir a energia para a concessionária Rio Grande Energia (RGE), a Coopermil terá uma redução significativa nos custos com energia elétrica. “Se elas funcionarem bem e da forma que esperamos, teremos uma redução de R$ 60 mil por mês.  Em média, R$ 700 mil por ano”, destaca o diretor executivo. A economia poderá ser ainda maior quando a nova usina estiver em operação.

A cooperativa ainda trabalha em mais dois grandes projetos: uma unidade completa de recebimento de grãos em Santo Ângelo e uma nova unidade completa para recebimento de grãos, que deve estar pronta para a safra do trigo, na Linha Boa Vista, em Santa Rosa. “Neste momento, devemos pensar no futuro, investir agora para quando voltar à normalidade estar tudo alinhado. Esses projetos já tínhamos antes da pandemia, mas nós não paramos”, relata Gabriel. A estrutura de Santo Ângelo terá capacidade de armazenagem de 400 mil sacos, mais depósito de defensivos e produtos agropecuários, escritório para atendimento e loja agropecuária, em área total de seis hectares.

Correio do Povo

Pesquisar no site
kprixo lavagemRW AUTO SOM
CAZEARTES Palletsamgsr
mugicada paz
cine globo