Imb santa rosamiroAMGSRALDAIR MELCHIORppjeferson fernandesptbpsbpaulinhosindisaudesindicato dos servidores municipaisRODRIGO BURKLETODA HORAsindusconCLÍNICA DOM BOSCOSegato Pneucresolmecânica severoESCRITÓRIO ZIMMERMANNFlorence MotelCOLEGIO CONCORDIAoabamgsrSIND SERV MUNICIPAISAGRITECampliar assessoria atendimento pscicologicoposto royaleenphaseMetalurgica Marks
Bloqueados bens de empresários que devem mais de R$ 53 milhões
 Guia de conduta será lançado durante o seminário Diálogos em Matéria Eleitoral nesta sexta (20) - Foto: Arte/PGE-RS
Guia de conduta será lançado durante o seminário Diálogos em Matéria Eleitoral nesta sexta (20) - Foto: Arte/PGE-RS
Bloqueados bens de empresários que devem mais de R$ 53 milhões ao Estado

A 3ª Procuradoria Regional da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), que tem sede em Canoas, conseguiu, junto à 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado, o bloqueio de bens e a responsabilização pessoal de 12 administradores de um grupo econômico que atua no ramo de postes de madeira e reflorestamento e acumula débitos em relação ao Estado desde 1992, atualmente em valores acima de R$ 53 milhões. A ação ocorreu em colaboração com a 2ª Delegacia da Receita Estadual de Canoas (2ª DRE).

A empresa era utilizada para acumular as dívidas do grupo econômico em que está inserida. Em sua decisão, a desembargadora afirma que os elementos constantes do instrumento “evidenciam existência de um grupo econômico e a manutenção de empresa a suportar os ônus dos débitos como verdadeira ‘testa de ferro’, de modo a manter saudáveis as demais empresas – ligadas ao mesmo contexto familiar”.

Também esclarece que “a responsabilidade dos sócios, nesses casos, é pessoal, em razão de atos por eles praticados na administração da sociedade. Não se trata de responsabilidade originária da pessoa jurídica e posteriormente transferida aos sócios em razão de situação de abuso da personalidade da empresa”. A coordenadora substituta da 3ª Procuradoria Regional, procuradora do Estado Marciani Lansoni, atua no processo.

A 3ª PR e a 2ª DRE atuam em cooperação desde março de 2017 em apurações e investigações que levaram à responsabilização de sócios e de grupos econômicos de pelo menos outros três grandes devedores, com débitos superiores a R$ 50 milhões cada um. “Foi consenso haver necessidade de dar ênfase ao preparo de novos ajuizamentos de execuções fiscais, com medidas executivas prévias, como arrolamento de bens e protesto, assim como o prosseguimento do trabalho contra devedores contumazes e a responsabilização dos sócios administradores. Na baixa de ofício no Cadastro Geral de Contribuintes/ Tributos Estaduais, quando a empresa baixada possui débitos relevantes”, relata o procurador.

Pesquisar no site
kprixo lavagemRW AUTO SOM
CAZEARTES Palletsamgsr
mugicada paz
cine globo