PPfonsecaALDAIR MELCHIORamgsrmarcia da fundaçãoPAULINHOmugicaptbROTATIVOpsbcresol aniversario santa rosaunimedvida & saúde 83 anosalto uruguai emprestimosFlorence MotelsindisaudeCOLEGIO CONCORDIAcresoloabamgsrSIND SERV MUNICIPAISUniverso consultoria e representaçõesUniverso fabrica de chinelosAGRITECampliar assessoria atendimento pscicologicoposto royaleenphaseMetalurgica Marks
Facebook termina 2017 em forma
Loic Venance / AFP /CP
Loic Venance / AFP /CP
Facebook termina 2017 em forma, apesar do menor tempo de conectividade

O Facebook encerrou 2017 com bons resultados financeiros, mas reconheceu que seus usuários gastam menos tempo na rede social devido às mudanças recentes. “2017 foi um ano sólido para o Facebook, mas também um ano difícil”, admitiu o presidente, Mark Zuckerberg, citando, em particular, o debate sobre as redes sociais e a confiabilidade das notícias publicadas nelas. “Em 2018 queremos assegurar que o Facebook não é apenas divertido de usar, mas também é bom para o bem-estar das pessoas e da sociedade”, declarou Zuckerberg durante uma teleconferência com analistas para anunciar os resultados.

O lucro líquido para o quarto trimestre de 2017 foi de 4,3 bilhões de dólares, uma alta de 20% e de quase 16 bilhões de dólares no ano (+56%). O grupo informou que teve uma carga fiscal excepcional de 2,27 bilhões de dólares no fim do ano e que sem esta quantia, o lucro ajustado teria sido de 2,21 bilhões de dólares, melhor que o esperado pelos analistas. A conta trimestral subiu 47% para 13 bilhões de dólares, também melhor que o esperado. A ação do Facebook caiu mais de 4% após a publicação dos resultados, mas recuperou terreno e até aumentou um pouco, chegando a 188,90 dólares nas operações posteriores ao fechamento de Wall Street.

Por outro lado, a quantidade de usuários mensais esteve alinhada com o esperado, em 2,13 bilhões de dólares. Há meses, as redes sociais estão no centro das atenções, particularmente o Facebook, por ter permitido a divulgação de informações falsas ou distorcidas em suas páginas, especialmente durante a campanha presidencial americana 2016. Diante das críticas, o Facebook lançou várias mudanças na forma como seleciona seu conteúdo, como limitar a presença de vídeos virais. Mas, ao mesmo tempo, essas modificações causaram uma queda de 5% no tempo gasto pelos usuários na rede social no último trimestre de 2017, segundo indicou Zuckerberg.

Também anunciou uma queda no número de usuários ativos diários nos Estados Unidos e no Canadá entre o terceiro e o quarto trimestres. “Ajudar as pessoas a se conectar é mais importante do que maximizar o tempo gasto no Facebook”, disse Zuckerberg, que prevê que a tendência de passar menos tempo na web aumentará.

Em 2018, o Facebook anunciou novas mudanças para limitar a presença de publicações institucionais (de mídia ou marcas comerciais) e melhorar as publicações de amigos e familiares.

Fonte: AFP

Pesquisar no site
kprixo lavagemRW AUTO SOM
CAZEARTES Palletsamgsr
mugicada paz
cine globo