sindicato dos bancariossingular topoAGRITECDA PAZ LUTERANAespaço coloridosinduscomescritorio zimmermannampliar assessoria atendimento pscicologicovida & saúde 82 anosmantei advocaciaExpress Estúdio Fotográficorotativoposto royaleenphasedom boscoMetalurgica Marks
Enem mobiliza mais de 294 mil alunos no Rio Grande do Sul
Poucos estudantes chegaram atrasados na Escola Técnica Estadual Politécnica | Foto: Alina Souza
Poucos estudantes chegaram atrasados na Escola Técnica Estadual Politécnica | Foto: Alina Souza
Movimento de alunos e pais foi intenso antes dos portões serem fechados

Cerca de 6,7 milhões de estudantes, dos quais 58,6% do sexo feminino, realizaram neste domingo em todo o país a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio 2017 (Enem 2017). Um total de 1.725 municípios sediam o exame considerado como principal porta de entrada para a universidade. No Rio Grande do Sul estavam inscritos pouco mais de 294 mil alunos. Como sempre, a movimentação foi intensa nos locais das provas de linguagens, ciências humanas e redação, cujo tema foi “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. A segunda etapa, com provas de ciências da natureza e matemática, será feita no próximo domingo, dia 12.

Em Porto Alegre, a situação não foi diferente em relação às demais cidades, com grande movimentação de candidatos antes do fechamento do portão, ocorrido pontualmente às 13h. Na Escola Técnica Estadual Parobé, na avenida Loureiro da Silva, os inscritos chegavam no local, em sua maioria, em veículos de aplicativo, da família ou até de amigos. Houve fila dupla de carros em um certo momento. Em torno das 12h50min já não havia quase mais ninguém na frente do estabelecimento de ensino, com alguns poucos retardatarios. No entanto, um minuto depois do portão ter sido fechado, às 13h01min, apareceu uma jovem e quatro minutos depois, às 13h05min, surgiu mais uma candidata atrasada. Ambas não quiseram falar, mas uma acabou culpando o motorista do aplicativo por “ter se atrasado”. Nenhuma, como seria esperado, pode entrar no prédio.

As provas, com 180 questões de múltipla escolha, começaram efetivamente a partir das 13h30min. Para suportar a maratona de 5 horas e 30 minutos de duração da prova, os candidatos traziam garrafinhas de água mineral e lanches de casa. Renê Loreno Soares, 17 anos, fazia sua estreia no Enem 2017, desejando um dia cursar História ou Economia. Ele carregava um pote contendo cereal em flocos. “Acho que dá para ajudar”, disse a respeito da energia do alimento. O estudante frisou também que estava “bem preparado” para o exame.

A realização do Enem 2017 é um momento também de faturamento para os vendedores. Muitos candidatos optavam pela compra na hora. Na calçada da Escola Técnica Estadual Parobé, o vendedor Zaloar Ávila da Rocha, 57 anos, conta que há 15 anos se posta no local com sua banquinha para faturar pouco mais do que o normal. Ele aproveitou para comercializar salgadinhos e doces, refrigerantes e água mineral junto com canetas e lápis exigidos. “O pessoal deixa para última hora”, avaliou, acrescentando que consegue até fazer um “combo” com lanche e material de escrita vendidos juntos. “Vou ficar até a saída da prova”, assegurava.

Já o vendedor Jsol Adriano Domingos Brum, 47 anos, vendia água mineral e refrigerantes. “Dá sede ficar mais de cinco horas lá dentro”, imaginou. Ele disse que é possível “tirar um dinheiro” na venda durante o Enem 2017. Por sua vez, Jaqueline Andrade, 50 anos, comercializava cachorro-quente com linguiça ou entrevero, composto por carne, linguiça calabresa, cebola pimentão, tempero verde, ketchup, mostarda, maionese, batatinha palha e “amor”. Segundo ela, o pessoal não quer fazer a prova de barriga vazia. “Com fome ninguém consegue raciocinar”, garantiu. “Não tem perigo de ficar com sono por causa do estômago cheio”, complementou. “Sempre digo boa sorte”, revelou, referindo-se à clientela.

Fonte CP

Pesquisar no site
kprixo lavagemRW AUTO SOM
CAZEARTES Palletsamgsr
mugicada paz
cine globo